quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Old Dirty Bacon - Identifico (Prod. Fabio Broa)


Lançada em 28/12 do ano passado essa música marca o retorno oficial de Old Dirty Bacon ao Rap, lendária figura do RJ e um dos membros fundadores da Cachaça Crew chega chegando co um papo firme no beat do Broa da RZN Records, a idéia boa, se liga aí...

Letra:
Old Dirty Bacon

Produção:
Fabio Broa

Arte:
Gustavo CHS

Via:

sábado, 25 de janeiro de 2014

Canídheo - Estou Vivo (Part. Pazsado)


Estou Vivo é a primeira música do segundo trabalho solo do Canídheo, intitulado A.C.D.C., junto com Pazsado chega com classe e peso nessa faixa, um encontro entre Cães D' Caça e Studio Kasa não poderia ficar por menos.


E se após o primeiro trampo de Canídheo intitulado A Origem do Mestre vocês pensaram que era o fim se enganaram feio, ainda há muito por vir, aguardem...

Disponível para audição via Bandcamp

+info:
Facebook
SoundCloud

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Slow da BF - "JÁ NÃO HÁ TIRANOSSAURO REX QUE ME PARE QUANDO ESCREVO!!!" (2014)


Slow da BF é membro da Universal Zulu Nation de Nova York...

Fundador do grupo de Rap Esquadrão Zona Norte que em meados de 2000 lançou o CD Epidemia, também participou na Mixtape Zoeira Hip Hop Carioca que saiu encartada na edição 80 da Revista TRIP, e ainda junto ao EZN participou do disco: Marcelo D2 apresenta Hip Hop Rio, recentemente lançou o Vídeo Clipe da música "Baixada" com direção do Cacau Amaral.


Slow Da BF tem inúmeras músicas e o que mais me atraí à ouvi-lo é a maneira como ele recicla suas linhas, um trecho de um improviso de repente se torna uma música, uma frase entra em outra canção com um efeito diferente do que causava na canção anterior, ele usa palavras com uma maestria digna de um Mestre que faz valer as Cerimônias que lhes são conferidas

Eu lhes convido à ouvir essa compilação de singles, colaborações, remixes e participações que reuni e que o próprio Slow Da BF batizou com o sugestivo título de... 

"JÁ NÃO HÁ TIRANOSSAURO REX QUE ME PARE QUANDO ESCREVO!!!" 

01-Tradição Renovação - K-Bide e Slow Da BF (Prod. Vanone Rappmann) (03:20)
02-Questão de Honra - Slow Da BF + Erkone e Rg (Prod. Criolo) (04:26)
03-O Que Você Faz - Antizona e Slow Da BF  (03:19)
04-Latino Americano Slow Da BF + Dom Pablo Guerreiro e DJ Brankynho (Prod. Iron Kurtain e Snake vs Krane from Mind Base For Real/Alemanha) (04:14)
05-Nêutrons - Slow Da BF e Átomo (Prod. Átomo) (03:37)
06-Freestyle - Slow Da BF e DJ Brankynho (01:40)
07-O Que Restou De Mim - B.Makalé, Highlander e Slow Da BF (Prod. Du Brown) (05:33)
08-Toda Malandragem Tem Limite - Dom Pablo Guerreiro e Slow Da BF (04:26)
09-Só Preciso - K-Bide e Slow Da BF (Prod. Fabio Broa e Mr. Break) (03:13)
10-Fantasma - Slow Da BF e Átomo (02:38)
11-Vacilão - Slow Da BF e Bob-X (Prod. Criolo) (03:00)
12-Ponha a Mão Pra Cima - Antizona, Mano Armada e Charles Mucha Rima (Prod. Maroking/Espanha) (06:11)
13-Questão de Honra [Remix] Slow Da BF (Prod. Dino T-Rex) ( 02:34)
14-Baixada - Slow Da BF (Prod. Machintal) (03:41)
15-Choro da Nova Escola - Donatinho e Slow Da BF (Prod. Marechal) (03:19)
16-Freestyle em Vitória ES - Slow Da BF (04:14)
17-O Filme do Filme Roubado do Roubo da Loja de Filmes - Slow Da BF (Prod. Marcelo Yuka e DJ Babão) (00:54)
18-Pura Ilusão - Ed Kilha e Slow Da BF (Prod. DJ Jeff C) (03:19)
19 -Sobrenatural Cuba Mix - André Machado, Caetano e Slow Da BF (Prod. Machintal) (05:21)
20-Freestyle Anti Cinema (Acapella) (01:25)
21-Homem Bode - Coletivo Nervozes e Slow Da BF (04:54)
22-Slow M.C (Acapella) (00:38)
23-Anti MC's - Alta Tensão part. André Zovão, Léo da XIII, Marcão BXD, DMA e Slow Da BF (Prod. Fábio ACM) (04:56)
24-Fantasmagórico - Highlander, Lone e Slow Da BF (Prod. KMKZ) (03:39)
25-Fala Sério - Slow Da BF (Prod. 2F U-Flow)  (02:21)
26-M.C - Slow Da BF (Prod. Fabio Broa RZN) (02:33)
27-M.C - [Slow Da BF - Extended Remix by André Belo DJ] (03:32)
28-Cavalaria - PesoLunar e Slow Da BF (Prod. Du Brown) (03:07)
29-"Rimanessencia" (Prod. Café Crime) (01:14)
30-Am|Fm  - Ed Kilha e Slow Da BF (Prod. DJ Jeff C) (04:47)
31-Coletivo Anti Cinema (Depoimento) (02:24)
32-Reis da Nova Era - Marcão BXD, Ualax MC e Slow Da BF (Prod. Ualax) (04:04)
33-Chorinho da Nova Escola [Remix] Donatinho e Slow Da BF (Prod. Fábio RNB) (05:47)
34-Fala Sério [Remix] - Slow Da BF (Prod. Drunk Sinatra) (02:11)
35-O Rap vai Além - Ualax e Slow Da BF (Prod. Ualax) (03:26)

Slow da BF - Baixada (Clipe)


Slow da BF - "Rimanessencia"

+info:

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Zoeira Hip Hop Carioca (2000) (Mixado por DJ Negralha)


Eis que depois de um bom tempo pensando em tirar algo especial da prateleira para compartilhar optei por esta lendária coletânea que pelo menos para mim foi o que revelou alguns dos grandes nomes do Rap Carioca para o mundo, na época pouco se ouvia sobre boatos de internet e o download gratuito ainda era uma novidade acessível para poucos.

E o mais incrível é que mesmo depois de 14 anos após o lançamento dessa Mixtape ela ainda permanece tão quente e atraente quanto na época em que foi lançada encartada na Revista TRIP Nº 80, na revista havia um aviso de que este CD não poderia ser vendido separadamente então devido à este fato compartilho o mesmo gratuitamente com todos vocês, boa diversão...


Zoeira Hip Hop Carioca (2000)

01-Marcelo D2, Marechal de Souza e Awonrianaga - Melô da Zoeira (03:47)
02-Marechal de Souza - Correndo Discos (Prod. Marechal de Souza e Berna Ceppas) (04:28) 
03-DJ Negralha e Dexter - Do Rio A SP (Prod. Negralha) (04:30)
04-Black Alien e Speed - Aumenta o Som, DJ! (Prod. Speed e Black Alien) (03:00)
05-De Leve - Eu Bolo (Prod. Berna Ceppas, Kassin e Marechal) (04:20)
06-Ataque Epidêmico (Prod. Damien Seth) (03:28)
07-Vai Veneno Cumpade (Prod. Neder) (03:40)
08-Shawlin - Aliança (Prod. J. Cardim) (05:00)
09-3 Preto - Eu Represento (Prod. Damien Seth) (03:06)
10-Anfetaminas - Caça Pop (Prod. Damien Seth) (03:14)
11-O Bando - De Calça Arriada (Prod. Negralha e Pachú) (03:16)
12-Inumanos - Brutal Crew (Prod. Damien Seth) (02:54)
13-A Resistência - 1º de Janeiro (Prod. Edu K) (03:56)
14-73 & DJ Juan - Quem Cala Consente (Prod. Ronier 73 e Eduardo Mendes) (04:14)
15-Marechal de Souza e De Leve - Televisão (Prod. Berna Ceppas, Kassin, Marechal e Castro) (03:04)
16-BNegão - Enxugando Gelo (Prod. Rodrigues) (03:13)
17-Stylus - Deceleration - Bônus Track (05:01)



Ficha Técnica:

Direção Artística e concepção - Elza Cohen
Coordenação de Produção - Ana Paula Wehba
Produção - Adriana Verani
Mixagem - DJ Negralha
Masterização - YB / Benoni Hubmaier
Arte - Jorge Colombo
Foto - Vava Ribeiro

Agradecimentos: Sinuca Palácio dos Arcos (Manuel, Fernando, Mauro, Seu Velhinho), Fumaça, Mirrela, Gamela, Seguranças (Marcio, Edilson, Paula e Marques), Street Shop, B-Boys (Impacto Break e GBCR), Graffiti (Fabio Ema, Binho, Eko e Akuma), Hip Hop Rio (Marcelo D2), Eros, Carol, Rodrigo Silveira, Tigrão, Nat, Berna Ceppas e Kassin, Nicholas Frota e a todos os frequentadores do Zoeira. 

Contatos (bandas): Tel. (21) 549.0698 com Elza Cohen
Caixa Postal 62 589 CEP: 22-257 970 - Rio de Janeiro/RJ 
elzacohen@uol.com.br www.zoeirahiphop.com

Donavan - Um Canto em Um Canto (2013)


Um disco de canções de amor com jogos de palavras...

Donavan - Um Canto em Um Canto (2013)

01-Vem Comigo Passear (03:29)
02-Lenços de Lixa (02:23)
03-Ando Louco (04:04)
04-Viajo o Mundo (03:02)

Pazsado - Pós-Tropicalismo (2013)


Tenho pouca coisa para comentar sobre os trabalhos desse cara, prefiro ouvir do que falar, lhes recomendo que façam o mesmo, sejam bem vindos ao Pós-Tropicalismo do Pazsado, deem o play e boa viagem...


01 Se DEUS Quiser (02:50)
02 Já é Tarde (02:31)
03 Intraduzível (Part. Canídheo) (02:15)
04 Chega de Briga (03:47)
05 Não Negro (04:02)
06 Sonho Lindo (01:07)
07 A Ilha (03:31)

DOWNLOAD

Gravado no Studio Kasa.

Todas batidas produzidas/fornecidas por Dukes A.k.A Sarksmo A.k.A Roberto Maia.

Este álbum finaliza a trilogia de aprendizados e experimentos contidos em "O Tropicano Vol. 1 ,2 e 3", este é um registro do ano de 2013.

+info:
Facebook
SoundCloud
YouTube

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Re-post: Indigesto - DEMO...RÔ (2007)


Primeira DEMO de Walli Indigesto intitulada DEMO...RÔ, provavelmente pela demora em gravar e lançar seu primeiro trabalho solo.


 Walli Paes Leme é um dos MCs mais irreverentes e inteligentes do RJ na minha humilde opinião, lendária figura dos grandes flows desde os primórdios da Cachaça Crew, quem não o conhece aproveite essa oportunidade para isso... 

01 Dólar Furado (05:19)
02 Covardes (03:56)
03 Ninguém Me Inspira (05:00)
04 Meio Confuso (04:00)
05 Quem Ignora é Ignorante (03:02)
06 Talvez Seja Por Isso Que Se Assalta (04:34)
07 Viagem no Tempo (03:13)
08 Mais Uma Dose (03:56)
09 Tributo ao Homem que virou suco (03:30)


Ficha Técnica:

Produção Instrumental:
Andreh Agassi

Fotografia:
Rafael Adorján

Direção de Arte:
Mari Guimarães

Segue abaixo um registro de 7 anos atrás da mais pedida nos shows e apresentações de Walli Indigesto, eis aí uma prova viva de que a música quando é boa nunca envelhece... 

Indigesto - Meio Confuso (Ao Vivo)

+info:

John Coltrane - A Love Supreme (1965)

“A Love Supreme” é uma composição em forma de suíte jazzística, criada no apogeu da capacidade artística de John Coltrane e seus companheiros McCoy Tyner (piano), Jimmy Garrison (baixo) e Elvin Jones (bateria), como uma elegia, uma canção de louvor ao Senhor. Não é um blues (embora, obviamente uma ponta apareça por conta da extrema versatilidade das influências e do conhecimento de Coltrane), nem gospel (inspiração existe, mas como inspiração). É jazz, no seu extremo. Feita para tocar o sentimentos humanos, beirando no sublime religioso.

Em 1962, Coltrane parte para uma nova fase em sua carreira. Monta um grupo que se tornaria o quarteto clássico de uma época marcada por fortes mudanças no cenário jazzístico. O pianista McCoy Tyner, o baixista Jimmy Garrison e o baterista Elvin Jones formaram a base para a construção de um álbum que se tornaria referência para as gerações seguintes, e provocaria reflexões quanto às estruturas musicais definidas no disco. O álbum “A Love Supreme” foi concebido por Coltrane para ser uma suíte em quatro movimentos.

O primeiro e mais conhecido, chamado “Acknowledgement” inseriu elementos de orquestra como gongo e tímpano. As quatro notas executadas pelo baixista orientam o tema, que funciona como mantra para sua execução. O título do disco é a mais pura forma de expressão alcançada pelo quarteto. No final da faixa ouve-se o mantra falado por Coltrane, estabelecendo o final do movimento. O quarto movimento chamado “Psalm” representa a transcrição de um poema escrito pelo próprio Coltrane em música. Sua execução não segue um padrão rítmico definido, oferecendo liberdade total para os músicos. O segundo e o terceiro movimentos apresentam uma estrutura musical mais regular com linhas melódicas simples.

O dia 9 de Dezembro de 1964 definiu um novo rumo para a carreira musical de Coltrane. Ele estava voltado à espiritualidade, e teve em “A Love Supreme” a chance de se expressar musical e espiritualmente. A partir de 64, os seus discos de jazz apresentavam títulos com mensagens políticas. Um grande exemplo foi no final de 1963: uma explosão de bomba em uma igreja negra matou quatro garotas. Do discurso de Martin Luther King sobre o acontecido, Coltrane escreveu o tema “Alabama”, usando os padrões rítmicos do discurso.

O disco refletia um despertar espiritual e político, e cruzava fronteiras culturais. Sua intenção era usar e colocar a espiritualidade em um rumo pacifista. Sua música durante muito tempo foi objeto de análise, crítica, objeções por parte da imprensa, e principalmente, lançou as bases da filosofia que guiaria seu trabalho. “Tocar certo significava, e exigia, viver certo”, dizia Coltrane. Ele conseguiu.

O segundo álbum inclui o Quarteto de John Coltrane, gravado no Antibes jazz festival.


John Coltrane - A Love Supreme (1965)

Músicos:

John Coltrane (Sax. Tenor,vocal track 01)
Archie Shepp (Sax. Tenor - Disk II, track 08 e 09)
McCoy Tyner (Piano)
Art Davis (Baixo - Disk II, tracks 08 e 09)
Jimmy Garrison (Baixo)
Elvin Jones (Bateria)

Disco 1:

01. Part I: Acknowledgement (07:43)
02. Part II - Resolution (07:20)
03. Part III: Pursuance (10:42)
04. Part IV-Psalm (07:05)

Disco 2:

01. Introduction by André Francis (01:13)
02. Part 1: Acknowledgement (06:12)
03. Part 2: Resolution (11:37)
04. Part 3: Pursuance (21:30)
05. Part 4: Psalm (08:49)
06. Part II-Resolution (Alternative Take) (07:25)
07. Part 2: Resolution (Breakdown) (02:13)
08. Part 1: Acknowledgement (Alternative Take) (09:09)
09. Part 1: Acknowledgement (Alternative Take) (09:23)

sábado, 18 de janeiro de 2014

The NB's - Remixtapes (2010)


The NB's ou Os Negros Bonitos são uma dupla formada em 2010 por Sarksmo e Pazsado, Remixtapes é um trabalho que mescla trabalhos individuais de Sarksmo e Pazsado além de parcerias e algumas músicas exclusivas criadas diretamente para este projeto.

 

Aos interessados em conferir eu garanto que não irão se arrepender, o nível é alto não apenas nas métricas mas este trabalho como um todo representa o crescimento e a auto-estima independente de barreiras impostas por quem tem nome/espaço na cena, vale à pena conferir...

01 Intro (01:33)
02 Deixa (01:55)
03 A Rua é Suja (02:32)
04 Roma (03:39)
05 Espelho (Part. Yzalú) (02:48)
06 Cheiro Da Fumaça (Sarksmo) - Exclusiva (01:08)
07 Molho Sincero (Part. Yzalú) (02:43)
08 Disciplina 03:20)
09 Vestida Pra Matar (03:40)
10 Olho Na Vida (Não Da Pra Corre) (03:22)
11 Inspiração (Prod. Poco Papo) - Exclusiva (02:05)
12 Pode Vim (03:00)
13 Cheiro Da Fumaça (Pazsado) - Exclusiva (01:08)
14 Questão Ene - Exclusiva (03:17)
15 Nada É Pra Sempre (04:18)

Disponível na íntegra para audição via YouTube

Todas as faixas foram gravadas no Studio Kasa.

+info:

Pazsado - O Tropicano "Trilogia", confiram...


Antes de muitos conheceram Pazsado ele já tinha uma relação com a música típica do Brasil e instrumentos o que agregou muito na sua forma de compor seus Raps, por volta de 1999 começa a escrever algumas letras, foram tantas que algumas até hoje estão guardadas. Em 2001 gravou sua primeira fita chamada Hippie Hobbi.

E alguns anos depois eis aqui a trilogia intitulada O Tropicano que trata especificamente do trabalho que Pazsado desenvolveu ao lado dos seus companheiros de Studio Kasa, sendo Pazsado responsável pelas rimas e DJ Crick, LelecoSan e Sarksmo a.k.a. Dukes encarregados das produções, um disco com cada produtor e os resultados não poderiam ser melhores, vocês podem conferir os 3 volumes aqui...


Pazsado - O Tropicano Vol. 1 (Prod. DJ Crick)

01 Meu Caro (05:17)
02 Ladrões de Neurônios (03:15)
03 Esquinas (Part. Choco) (03:02)
04 Olhos de Miss (03:10)
05 Rimas em Papel de Pão (Part. Rordz) (03:55)
06 Nessa Vida (02:17)
07 Partida pra Guerra (04:56)

Disponível para audição via Bandcamp



Pazsado - O Tropicano Vol​. ​2 (Prod. Leleco San)

01 Introdução (02:02)
02 Se 6 Não Fosse Assim (02:20)
03 Isso Memo Tio (03:38)
04 A Beleza é Você Menina (02:44)
05 A cidade Ácida (02:47)
06 Eu Fui (02:01)
07 Voz (03:24)
08 Pode Vim (Part. Dukes 1 Soldado) (02:05)
09 Preta Patrícia (03:55)
10 Querer Não é Poder (Part. Mascote) (04:52)
11 A Beleza (Remix) (02:23)
12 Dia e Noite (Remix) (02:03)
13 Veta a TV (Part. Mascote) (Faixa Bônus) (01:43)

Disponível para audição via Bandcamp



Pazsado - O Tropicano Vol​. 3 (Prod. Dukes)

01 Sabe Quem é? (01:20)
02 Liberdade Presa (03:01)
03 Briga de rua (Part. Sarksmo & Choco) (04:30)
04 Dia e Noite (02:21)
05 Minha dor (01:19)
06 Infância (Part. DJ Crick) (04:32)
07 Mascarados (01:15)
08 Os Valores (02:17)
09 Pimp (02:06)
10 Tá Foda Mané (03:28)
11 Sair (Ao Vivo) (03:27)

Disponível para audição via Bandcamp

+info:

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Paks - Inspiração


Lançado em maio de 2012 este é o segundo single do EP de Bruno Paks intitulado Good Vibe, que inclusive conta com um clipe impossível de não gostar, é inspiração na certa...


Paks - Inspiração (Clipe)

Paks - Good Vibe


Primeiro single homônimo do EP "Good Vibe". 

Um projeto que une a trilha fluida de Paks a um cenário composto por bons momentos e belas paisagens captadas por Dudes (Moving). Qualidade!


Paks - GOODVIBE (Clipe)

Costa Alves - Vibrações (2011)


Após ter lançado o álbum "Interiormente" Costa Alves lançou em Dezembro de 2011 um single intitulado "Vibrações", que contém 2 músicas, uma homônima e uma outra intitulada "O Jogo é Sujo (Round 2)", este material é uma prévia do que esta por vir em seus futuros projetos, se liga aí...

Costa Alves - Vibrações (2011) 

01. Vibrações (01:18)
02. O Jogo é Sujo (Round 2) (00:59)

Costa Alves - Interiormente (2011)


Costa Alves é paulistano, mais especificamente do Jd. Elizabeth em Taboão da Serra, lançou em 2011 seu primeiro álbum oficial intitulado "Interiormente".

Em sua breve passagem pelo Chile, foi um dos primeiros MC's brasileiros a entrar em conexão direta com membros do Hip Hop Chileno. Lá fez o pré-lançamento do seu CD, trabalho este feito de forma independente mas com muito amor e dedicação, mostrando um pouco sua visão de mundo e sua bagagem e evolução musical acumulada em mais de 10 anos de estrada e história, confere aí. 


Costa Alves - Interiormente (2011)

01. Intro (01:46)
02. Missão part. Aukán (02:37)
03. Manhã de Segunda-feira part. Psico e Anônimo (02:32)
04. Em Homenagem aos Velhos Tempos (03:08)
05. Interlude (00:48)
06. Contra o Tempo (Scratches. Dr. Jay) (03:12)
07. Uma Questão de Sobrevivência (02:29)
08. A Última Canção Que Escrevi (02:22)
10. Interlude (00:24)
11. Carpediem (Colha o Dia) part. Psico e Mano Mil (02:55)
12. A Procura de Mim Mesmo part. Cauê (03:55)
13. A Matter of Survival (02:16)
14. Interlude ()
15. Vencer part. Lude (02:22)


Contém produções de Aukán, Maze, Renán Zacarelli, Dr. Jay, Rodrigues, DJ Cascão, Psico, Marvin Marlyn, DJ Milla e Costa Alves.

Gravação, Mixagem e Masterização:
Dr. Jay Produções.

Foto/Capa:
Paulo Savala.


A Última Canção Que Escrevi (Clipe)
Direção: Costa Alves e Rodrigues.

+info:

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Lançamento on line do vídeo clipe “Baixada Em Cena”, de Marcão Baixada 13/01

Num beat produzido por Ualax que traz um jazz bem trabalhado em sincronia com os scratches do DJ Orácio, é desse jeito que Marcão Baixada chega representando o Rap do Rio de Janeiro afiado e cheio de classe, desde a escrita até as variações ao cuspir suas linhas.

Baixada Em Cena faz parte da coletânea de mesmo nome, um álbum colaborativo realizado por artistas da Baixada Fluminense, produzido pela Umdergrau Records e disponibilizado na internet via SoundCloud.

Marcão Baixada - Baixada Em Cena (Vídeo Clipe Oficial)
 

+info:




+info:


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Inthefinityvoz - Da extinção à existência (2014)


Formado em Curitiba por Dow Raiz e Thestrow o grupo Inthefinityvoz já chega causando um grande impacto por conta do visual incomum e porque não dizer único se pararmos pra pensar no que vem sendo feito por aqui.




Da extinção à existência é como se fosse a viagem de volta do fim pro início e do vício à libertação, um tanto complexo pra assimilar na primeira impressão, é isso.

01 Eu-tu-eles (03:28)
02 Cada coisa (02:54)
03 Crédito ou débito (04:08)
04 Alma e corpo (02:47)
05 Mensagem alquimística (01:50)
06 Pri$ão mental (03:38)
07 Tok-tok (02:57)
08 Eu nunca sei (02:29)
09 Comum como são (03:18)
10 Cambyo desligow (03:07)
11 In canto (03:22)

DOWNLOAD

+info:
Facebook
SoundCloud
YouTube

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Alteradores de estado em Mauritsstadt Dub (2005)


Em 2005, Mauritsstadt dub saía pelo Candeeiro Records, pequeno e
significativo selo pernambucano. Álbum duplo que até hoje não teve seu
reconhecimento merecido, trata-se de uma compilação que vê e revê a música de
rua do Recife e de seus arredores. O projeto faz conexão entre 10 mestres
populares e uma rede de produtores musicais contemporâneos da cidade, além de colaboradores
de São Paulo e Nova York.


Alteradores de Estado em Mauritsstadt Dub Vol. 1 (2005)

Disco 1/Versão Roots: 

01. Forró de Aliança - Mestre Salustiano 
02. Toada de Cavalo Marinho - Boi Brasileiro de Itaquitinga
03. Quem me Deu Fui Lia - Lia de Itamaracá 
04. Recife D'Água - Zé Neguinho do Coco 
05. Roda, Rodete, Rodeando - Caju e Castanha 
06. Música de Cabloco Tocada no Pifano - Banda de Pífanos Dois Irmãos 
07. Juntando Côco - Dona Clida do Côco 
08. O Passarinho - Seu Bezerra 
09. Na Mais Alta Montanha da Saudade Te Espero com Toda Paciência
10. Macaco - Naná Vasconcelos  



Disco 2/Versão Dub:

01. Forró de Aliança - Mamelo Sound System 
02. Toada de Cavalo Marinho - Scott Hard 
03. Quem Me Deu Foi Lia - Pupillo 
04. Recife D'Água - DJ Dolores 
05. Roda, Rodete, Rodeando - Kassin e Berna Ceppas 
06. Música de Cabloco Tocada no Pifano - Capenga Sample 
07. Juntando Côco - Instituto 
08. O Passarinho - Fred Zero Quatro e Biguinha Dub 
09. Na Mais Alta Montanha da Saudade/ Te Espero com Toda a Paciência - Apolo 9
10. Macaco - Fábrica 
11. Bônus Track: Forró de Aliança - Arto Lindsay e Melvin Gibbs 



LEIA!

O título faz referência à Cidade Maurícia – ou Recife à época da ocupação
holandesa (1630-1654) –, ocasião em que os pernambucanos experimentaram pela
primeira vez o cosmopolitismo e o uso avançado da tecnologia. Além dos resquícios
arquitetônicos do Brasil holandês, a reconquista entrou no imaginário como
recordação de um tempo fabuloso e quase mítico, como aponta o historiador
Evaldo Cabral de Mello. 

Mauritsstadt dub é mão e contramão. Recife de dentro pra fora. Olhares
voltados para si e para o mundo. A Mauriceia que se divide entre a tradição
musical das ruas e a música das máquinas. 
Em meados dos anos 2000, o álbum revelava uma nova maneira de registrar
e se relacionar com os artistas populares. Sessões de gravação em estúdio “pop”
colocavam esses músicos em outra categoria. Depois, os “ecos” de sua música,
revista e sampleada por um time de notório conhecimento. 

Sem falar na ideia de ter o dub como ponto de partida para a recriação,
evento que faz conexão a outros periféricos americanos ou a uma pequena ilha no
Caribe, onde o “duplo” foi inventado nos anos 1960 a partir do emprego de baixa
tecnologia. 

O objetivo do disco é colocar lado a lado artistas populares e representantes
(de peso) da música pop. “Era uma forma da gente tirar essas pessoas daquele
estigma de que o artista popular tem que ficar no interior, na sua casinha e
vivendo de outras coisas. A gente tentou mudar isso com a cena dos anos 90, com
o manguebeat. A gente tentou resgatar essas pessoas e mostrar para o mundo que
essa cultura pode transitar tranquilamente pelo universo pop”, diz Pupilo,
percussionista da Nação Zumbi e um dos produtores do álbum, em entrevista ao
programa veiculado originalmente em abril de 2005. 

“Isso é coisa do desenvolvimento da cultura popular”, diz Mestre Salu
(1945-2008), ícone do movimento mangue. “Eu mesmo não esperava que a cultura
popular fosse chegar no nível que alcançou hoje. O povo pesquisando, gravando e
tocando nas melhores rádios dos Estados Unidos, do exterior, e fazendo
sucesso”, avalia o “Mestre de Chico Science”, em longo papo que travado em
Garanhuns em julho de 2001.

Maquinado - Mundialmente Anônimo: O Magnético Sangramento da Existência (2010)


Em seu segundo disco solo o também guitarrista da Nação Zumbi, Lúcio Maia | Maquinado nos entrega um disco imerso em suas tradicionais guitarras repleto de efeitos eletrônicos e psicodelia. Comparado ao trabalho anterior – O Homem Binário (2007) – Mundialmente Anônimo se mostra muito mais orgânico dando espaço para que o músico se afunde em experimentalismos simples porém geniais.

O álbum conta com duas releituras no melhor estilo Maquinado. A primeira você recebe logo de cara com a faixa Zumbi de Jorge Bem Jor. A outra é Super Homem Plus, dos conterrâneos do Mundo Livre S/A repleta de ruídos e efeitos fazendo com que a faixa pareça fruto original de Maia. O músico chama ainda Lurdez da Luz (Mamelo Sound System) para emprestar os vocais na suingada Tropeços Tropicais, um dos melhores momentos do álbum. O acerto também está nas faixas em que o músico solta sua voz como Pode Dormir e Bem Vinda ao Inferno. Um disco intenso e dançante no melhor estilo Lúcio Maia.


Maquinado - Mundialmente Anônimo: O Magnético Sangramento da Existência (2010)

01. Zumbí (03:23)
02. Dandara (02:33)
03. Bem Vinda ao Inferno (02:46)
04. Super Homem Plus (05:12)
05. Tropços Tropicais part. Lurdez da Luz (03:00)
06. Pode Dormir (03:42)
07. Provando a Sanidade (02:26)
08. Recado ao Pio, Extensivo ao Lucas (03:14)
09. Girando ao Sol (03:23)
10. SP (03:23)



+info:

Ciência Rimática - A Sinfonia que atrai Os Ratos para Órbita da Destruição (1998)



Ciência Rimática é uma banda carioca de Rap experimental, formada por: Emerson Facão "The Bigknife", Fabrício White, Alexandre Tigrão "BigTiger" e DJ Mohamed, na mesma época em que foi concebido este trabalho clássico e tão único se comparado aos demais.

A Sinfonia que atrai Os Ratos para Órbita da Destruição nos traz instrumentais cheios de psicodelia e participações que dispensam comentários, além do clássico hino "A Grande Aliança" com participação de alguns dos pilares da fundação do Hip Hop Rio: Marcelo D2, Dom Negrone, Aori, Slow da BF, La Taj Mahal, Mistério e Damien Seth, boa viagem...

01 A VIAGEM (03:09)
02 GREENPEACE (03:36)
03 O DRAGÃO E O TIGRE (04:35)
04 A GRANDE ALIANÇA part. HIP HOP RIO ALL STARS (11:47)
05 EU NÃO, TU NÃO, ELE NÃO, NÓIS SIM... (03:33)
06 A FLAUTA MÁGICA (part. BLACK ALIEN) (05:58)
07 TEMPOS MODERNOS (05:16)
08 A DESCONSTRUÇÃO DO SAMBA (04:57)
09 ÓRBITA DOS RATOS (02:14)
10 COMEÇO DO FIM (part. SHAWLIN) (06:14)
11 GOD FATHER DOMINANDO O ESPAÇO SIDERAL (04:48)
12 A GRANDEZA DAS COISAS SIMPLES (05:25)
13 TERROR NO RIO (02:12)


+info:

Dukes - Íntimo (2014)


Com a palavra Dukes:

Em resumo, este trabalho foi elaborado a partir da necessidade de me expressar sobre o que vivo e o que me rodeia, com isso, concluo que as relações sociais são fundamentais para o crescimento de cada indivíduo.

Dukes - Íntimo (2014)

01. Cicatrizes (02:36)
02. Eu, a beleza e você (02:40)
03. Adeus (02:52)
04. O que me restou (02:53)
05. Flor de aço (03:53)
06. Tudo ficou claro (04:02)
07. Sentimento vivo (02:37)
08. As coisas que possui acabam te possuindo (03:26)
09. Vem me ajudar (01:43)
10. Última gota (02:54)
11. A morte não é o fim (02:45)

Todas as letras e instrumentais por Dukes 

Gravado e mixado por Leleco San no Studio Kasa

domingo, 5 de janeiro de 2014

Bid - Bambas Dois: Brasil | Jamaica (2011)


Em 2011 saiu o tão esperado segundo disco, Bambas 2, que prometia reunir o fino do fino da música jamaicana com o tempero brasileiro. A lista é longa e é muita pesquisa pra acompanhar a trajetória de todo mundo: começando pelo The Heptones (os pais do rocksteady), Kymani Marley (que pelo sobrenome dispensa apresentações), Queen Ifrica (também filha de uma lenda do ska), Sizzla (figura que desde as antigas mistura ragga, dance hall com o reggae roots e já lançou nada menos que 45 álbuns solo)... Enfim, é muita gente da pesada, junto com Dominguinhos, Luiz Melodia, Karina Buhr, as irmãs Negresko fazendo o coro, Siba e Chico César... sem falar nos vários bons músicos que fazem cozinha, banheiro e sala de jantar para acomodar tantos bambas...


Bid - Bambas Dois: Brasil | Jamaica (2011)

01. Music For All (The Heptones) (04:08)
02. Little Johnny (Chico César + Jah Marcus) (04:55)
03. Happiness Is All In Your Hands (Queen Ifrica) (04:53)
04. Brasil (Little Sunday) (Kymani Marley e Dominguinhos) (04:55)
05. We Put The "M" Inna Music (Tony Rebel e Siba) (04:09)
06. Children Of The Future (U-Roy) (03:40)
07. Chiquinha Hey (Luiz Melodia + Anelis Assumpção e Negresko Sis) (04:33)
08. Leha Dodi (Sheeba) (Oku Onuora e Karina Buhr) (04:07)
09. Something (Luciano e Ernest Ranglin) (03:02)
10. World Cry (Al Fayah Mix) (Karina Buhr + Jesse Royal e Gustah) (04:54)
11. Only Jah Love (Raggatu) (Sizzla + Bi Ribeiro e Gustah) (04:13)
12. Forever You Are (Queen Ifrica e Joey Altruda) (04:52)

Bônus Tracks:

13. Nyahbingui (Medley) (I Wayne) (10:41)
14. Something Is Wrong (04:09)



+info:

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Parteum • Programação Normal (2014)


Programação Normal é uma micro-mixtape e também uma compilação de batidas e rimas divididas em 8 episódios esporádicos lançados por Parteum. Traduzindo para as palavras do próprio autor deste trabalho, Programação Normal é...

{ matemática dos santos pondo mantos sobre quem acende palcos, salas, ruas e estúdios }


01. Programação Normal #01 (01:47)
02. Programação Normal #02 (02:06)
03. Programação Normal #03 (01:45)
04. Programação Normal #04 (01:35)
05. Programação Normal #05 (02:28)
06. Programação Normal #06 (01:53)
07. Programação Normal #07 (02:50)
08. Programação Normal #08 (03:11)

Disponível para audição na íntegra via SoundCloud.