quarta-feira, 30 de abril de 2014

Bring Da Ruckus: A Loud Story (1997)



Bring Da Ruckus: A Loud Story (1997)

01. Wu-Tang Clan - Bring Da Ruckus (Intro) (00:30)
02. Chef Raekwon - Rainy Dayz (Long Dirty Mix) feat. Ghost Face Killah a.k.a. Tony Starks (04:18)
03. Sadat X - The Lump Lump (Nubian Mix) (03:38)
04. Xzibit - When Eyes May Shine (Remix) feat. Mobb Deep (04:44)
05. April - Love What I Feel (04:36)
06. Wu-Tang Clan - Protect Ya Neck (Radio Edit) (04:40)
07. Yvette Michele - Everyday & Everynight (Straight Pass Clean) (03:53)
08. Tha Alkaholiks - Contents Under Pressure (05:01)
09. Xzibit - Paparazzi (03:56)
10. Adriana Evans - Reality (The Attica Blues Remix) (04:47)
11. Chef Raekwon - Glaciers Of Ice (04:56)
12. Cella Dwellas - Advance To Boardwalk (Radio) (03:42)
13. Mobb Deep - Drop A Gem On 'Em (04:18)
14. Next Level - I Don't Know (Part 1) (03:43)
15. Tha Alkaholiks - Only When I'm Drunk (03:37)
16. Delinquent Habits - Lower Eastside (Clicc Remix) (03:48)
17. Wu-Tang Clan - C.R.E.A.M. (04:14)
18. Mobb Deep - Survival Of The Fittest (03:45)

Ramiro Mart - Advérso [EP] (2013)


Este é mais um dos finos lançamentos da Café Crime, trabalho de responsa de estréia do MC e Produtor Ramiro Mart, que conta ainda com as participações de DJ Phat, Lica Tito, Ana Clara Sty-Lee (MG), DJ Willian (SP) e Damien Seth, a arte é de Vladimir Ventura (Mondé), chega no confere...

Ramiro Mart - Advérso [EP] (2013)

01. Intro (Advérso) (Prod. Jonas Ribeiro) (01:22)
02. Skate Fé (Prod. Jonas Ribeiro)  (03:22)
03. Cidade Movimento (Prod. Gabriel Marinho) (03:30)
04. Suave (Prod. Jonas Ribeiro) (03:57)
05. Caranguejou (Prod. Jonas Ribeiro) (02:53)
06. Verdades e Mentiras (Prod. Goribeatzz) (02:42)
07. Moscow (Prod. Goribeatzz) (02:38)
08. Cegos (Soverato) (Prod. Goribeatzz) (03:54)



Ramiro Mart - Suave


+info:

Projetonave & Síntese - Em Favor do Réu (Single) 2014


Projetonave & Síntese - Em Favor do Réu... (Single) 2014

01. Cerrai o Cilho (02:52)
02. Em favor do réu... (04:20)



video


Ficha Técnica

Produzido por Projetonave
Gravado no FlapC4 por Cesar Pierri e Luis Lopes
Mixado no FlapC4 por Cesar Pierri
Masterizado no Red Traxx (EUA) por Felipe Tichauer
Capa por Bruno Kurru 
Produção executiva por Akilez
Pré produção "Em favor do réu" por Davi Chaves
Pré produção em "Cerrai o Cilho" por Willian Monteiro
Letras por Síntese.

Projetonave & Emicida - Até O Fim Sampa (Single) 2014


Mais uma parceria classe a para o projeto Nas Base do Projetonave, dessa vez em parceria com Emicida, sente o drama...


Projetonave & Emicida - Até O Fim Sampa (Single) 2014

01. Até O Fim Sampa (Original) (03:22)
02. Até O Fim Sampa (Dub) (03:55)


video

video

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Elo da Corrente • Ave Liberdade (Part. Especial Célia)


Este é o primeiro single do terceiro disco do grupo Elo da Corrente intitulado "Cruz".

A letra é de Pitzan e Caio

Ficha Técnica:

Músicos:
Caio Neri: Rhodes e programação
Guilherme Granado: Vibrafone
Marcelo Cabral: Contrabaixo
Rogério Martins: Percussão

Mixado por DJ PG.
Masterizado por Carlinhos J.

Foto: Assis176

Elo da Corrente • O Sonho Dourado da Família (2009)


Elo da Corrente • O Sonho Dourado da Família (2009)

01. O Sonho Dourado da Família (Prod. Pitzan) (03:02)
02. Se Faz Necessário Voar (Prod. Pitzan) (02:39)
03. Um Filme (Prod. PG) (03:40)
04. A Mãe (Prod. PG) (02:21)
05. Democracia Aonde? (Prod. Caio) (02:24)
06. Madrugada (Prod. Caio) (02:54)
07. Fim (Prod. Elo da Corrente) (02:06)



Elo da Corrente - Um Filme
Direção: 
Julio Cesar e Wilson Araujo

Elo da Corrente - Madrugada
Direção:
Arthur Moura e Elo da Corrente

Elo da Corrente • Após Algumas Estações (2007)


Elo da Corrente • Após Algumas Estações (2007)

01. Pei! (Prod. Pitzan) (02:04)
02. Sementes de Luz (Prod. Caio) (03:04)
03. O Tempo e os Sonhos (Prod. PG) (02:33)
04. Mudanças (Prod. Pitzan) (01:39)
05. Insistentemente (Prod. Caio) (02:12)
06. Aqui Dentro (pt.2) (Prod. PG) (03:08)
07. Nó na Garganta (Prod. Pitzan) (02:10)
08. Estações (Prod. Lumbriga Tremoza) (03:12)
09. Antes de Escrever, Antes de Falar (Prod. Pitzan) (01:53)
10. Pormenores (Prod. PG) (02:14)
11. Elo da Corrente (03:08) (Prod. Munhoz) (03:08)
12. Vozes (Prod. Pitzan) (02:33)
13. Mas… (Prod. PG) (02:25)
14. Dupratilana (Prod. Pitzan) (02:16)
15. À Indústria Cultural (Prod. Pitzan) (02:20)
16. Por Isso, Pitzan… (Prod. Pitzan) (01:56)
17. Tapas (Prod. PG) (02:22)
18. Meus Camaradas (Prod. Pitzan) (01:36)
19. Tristeza (Prod. PG) (02:16)
20. Quando Eu Me For (Prod. Pitzan) (01:44)
21. Pow! (Prod. PG) (02:07)

DOWNLOAD

Produzido, gravado e mixado por Elo da Corrente entre o verão de 2006 e a primavera de 2007

Masterizado por Carlinhos Freitas no Estúdio Classic Masters

Arte: Makoto

+info:
Facebook
SoundCloud
MySpace

Bezerra Da Silva - Onde A Coruja Dorme (2012) de Marcia Derraik e Simplício Neto


Bezerra da Silva vai “Onde A Coruja Dorme”. Dos morros cariocas, e da Baixada Fluminense, vem uma das produções musicais mais interessantes do Brasil: sambas feitos por trabalhadores, crônicas cáusticas mas bem-humoradas de compositores anônimos garimpados por Bezerra

Conhecido como o nome que influenciou toda uma geração de outros músicos, ícone divertidíssimo da ginga e da malandragem carioca, e porque não dizer brasileira, o pernambucano nascido no Recife, veio para o Rio de Janeiro ainda menino, clandestinamente, de navio, e então na cidade maravilhosa tornou-se uma das vozes do cotidiano das favelas, com seus encantos e pluralidade. "Onde A Coruja Dorme" revela quem fazia a cabeça de Bezerra da Silva e ganhou vida através de suas canções.

"Acho que eles confundem Freud com esse 'papo de amor', nego canta até que 'vai fazer amor'... queria saber onde é que fica a fábrica? se é em Bangú..."

Bezerra Da Silva - Onde A Coruja Dorme (2012)



+info:

Da Servidão Moderna (2009) de Jean-François Brien


Da Servidão Moderna (2009) de Jean-François Brien


“Toda verdade passa por três estágios.
No primeiro, ela é ridicularizada.
No segundo, é rejeitada com violência.
No terceiro, é aceita como evidente por si própria.”

Schopenhauer


   A servidão moderna é um livro e um documentário de 52 minutos produzidos de maneira completamente independente; o livro (e o DVD contido) é distribuído gratuitamente em certos lugares alternativos na França e na América latina. O texto foi escrito na Jamaica em outubro de 2007 e o documentário foi finalizado na Colômbia em maio de 2009. Ele existe nas versões francesa, inglesa e espanhola. O filme foi elaborado a partir de imagens desviadas, essencialmente oriundas de filmes de ficção e de documentários. 

    O objetivo principal deste filme é de por em dia a condição do escravo moderno dentro do sistema totalitário mercante e de evidenciar as formas de mistificação que ocultam esta condição subserviente. Ele foi feito com o único objetivo de atacar de frente a organização dominante do mundo.

    No imenso campo de batalha da guerra civil mundial, a linguagem constitui uma de nossas armas. Trata-se de chamar as coisas por seus nomes e revelar a essência escondida destas realidades por meio da maneira como são chamadas.  A democracia liberal, por exemplo, é um mito já que a organização dominante do mundo não tem nada de democrático nem de liberal. Então, é urgente substituir o mito de democracia liberal por sua realidade concreta de sistema totalitário mercante e de expandir esta nova expressão como uma linha de pólvora pronta para incendiar as mentes revelando a natureza profunda da dominação presente. 

    Alguns esperarão encontrar aqui soluções ou respostas feitas, tipo um pequeno manual de “como fazer uma revolução?” Esse não é o propósito deste filme. Melhor dizendo, trata-se mais exatamente de uma crítica da sociedade que devemos combater. Este filme é antes de tudo um instrumento militante cujo objetivo é fazer com que um número grande de pessoas se questionem e difundam a crítica por todos os lados e sobretudo onde ela não tem acesso. Devemos construir juntos e por em prática as soluções e os elementos do programa. Não precisamos de um guru que venha explicar à nós como devemos agir: a liberdade de ação deve ser nossa característica principal. Aqueles que desejam permanecer escravos estão esperando o messias ou a obra que bastando seguir-la  ao pé da letra, libertam-se. Já vimos muitas destas obras ou destes homens em toda a história do século XX que se propuseram constituir a vanguarda revolucionária e conduzir o proletariado rumo a liberação de sua condição. Os resultados deste pesadelo falam por si mesmos.

    Por outro lado, condenamos toda espécie de religião já que as mesmas são geradoras de ilusões e nos permite aceitar nossa sórdida condição de dominados e porque mentem ou perdem a razão sobre muitas coisas. Todavia, também condenamos todo astigmatismo de qualquer religião em particular. Os adeptos do complot sionista ou do perigo islamita são pobres mentes mistificadas que confundem a crítica radical com a raiva e o desdém. Apenas são capazes de produzir lama. Se alguns dentre eles se dizem revolucionários é mais com referência às “revoluções nacionais” dos anos 1930-1940  que à verdadeira revolução liberadora a qual aspiramos. A busca de um bode expiatório em função de sua pertencia religiosa ou étnica é tão antiga quanto a civilização e não é mais que o produto das frustrações daqueles que procuram respostas rápidas e simples frente ao mal que nos esmaga. Não deve haver ambigüidade com respeito a natureza de nossa luta. Estamos de acordo com a emancipação da humanidade inteira, fora de toda discriminação. Todos por todos é a essência do programa revolucionário ao qual aderimos.

    As referências que inspiraram esta obra e mais propriamente dita, minha vida, estão explicitas neste filme: Diógenes de Sinope, Etienne de La Boétie, Karl Marx e Guy Debord. Não as escondo e nem pretendo haver descoberto a pólvora. A mim, reconhecerão apenas o mérito de haver sabido utilizar estas referências para meu próprio  esclarecimento. Quanto àqueles que dirão que esta obra não é suficientemente revolucionária, mas bastante radical ou melhor pessimista, lhes convido a propor sua própria visão do mundo no qual vivemos. Quanto mais numerosos em  divulgar estas idéias, mais rapidamente surgirá a possibilidade de uma mudança radical. 

    A crise econômica, social e política revelou o fracasso patente do sistema totalitário mercante. Uma brecha surgiu. Trata-se agora de penetrar mas de maneira estratégica. Porém, temos que agir rápido pois o poder, perfeitamente informado sobre o estado de radicalização das contestações, prepara um ataque preventivo sem precedentes. A urgência dos tempos nos impõe a unidade em vez da divisão pois o quê nos une é mais profundo do quê o que nos separa. É muito fácil criticar o quê fazem as organizações, as pessoas ou os diferentes grupos, todos nós reclamamos uma revolução social. Mas na realidade, estas críticas são provenientes do imobilismo que tenta convencer-nos de que nada é possível.

    Não devemos deixar que o inimigo nos vença, as antigas discussões de capela no campo revolucionário devem, com toda nossa ajuda, deixar lugar à unidade de ação. Deve-se duvidar de tudo, até mesmo da dúvida.

    O texto e o filme são isentos de direitos autorais, podem ser recuperados, divulgados, e projetados sem nenhuma restrição. Inclusive são totalmente gratuitos, ou seja, não devem de nenhuma maneira ser comercializados. Pois seria incoerente propor uma crítica sobre a onipresença das mercadorias com outra mercadoria. A luta contra a propriedade privada, intelectual ou outra, é nosso golpe fatal contra a dominação presente.

    Este filme é difundido fora de todo circuito legal ou comercial, ele depende da boa vontade daqueles que asseguram sua difusão da maneira mais ampla possível. Ele não é nossa propriedade, ele pertence àqueles que queiram apropriar-se para que seja jogado na fogueira de nossa luta.

Jean-François Brient e Victor León Fuentes



terça-feira, 22 de abril de 2014

Dukes - Algum tempo atrás no espaço vol. 1: Instrumentais (2014)


Dukes lançou recentemente o primeiro volume de uma coletânea com produções instrumentais que variam de 34 segundos à pouco mais de 1 minuto, ficou curioso? Então ouvidos atentos que a viagem auditiva vai ser boa...

Dukes - Algum tempo atrás no espaço vol. 1: Instrumentais (2014)

01. Um só (00:45)
02. 2 da manhã (00:59)
03. Durante o caminho (01:34)
04. Ao avesso (00:42)
05. Aprendendo (00:46)
06. Voltar atrás (01:38)
07. Chegando alto (01:11)
08. Clareza (00:48)
09. Criança de rua (01:06)
10. Lembrança (00:21)
11. Eu vi (00:46)
12. Maluquice (01:41)
13. Não mais (01:06)
14. Nunca deixei de te amar (01:01)
15. Palmas (01:13)
16. Pode deixar (01:02)
17. Poema (01:15)
18. Real (01:07)
19. Sinta (00:34)
20. Zuzucando (00:34)


+info:

domingo, 20 de abril de 2014

Re-post: Cães D' Caça - 2000 e Guerra (2013)


Quem acompanha ou está nas corridas do Rap nacional que é feito na raça sabe bem quem são os Cães D' Caça, atualmente formado por: Mestre Canídheo, K'daver, Dukes 1 Soldado e DJ Emmel.


Eles disponibilizaram pra download em seu soundcloud o trabalho mais recente do grupo: "2000 e Guerra" é um disco temático que explora quase todas as possibilidades existentes dentro de uma guerra, o disco contém 18 músicas e conta com as participações de Charcot e Pazsado do Studio Kasa, além de Killer Boy e Dark Side do Projeto Pandora, não tem o seu ainda? 

Então não perca mais tempo segue o link e pegue o seu...

01 Intro (01:08)
02 A Guerra (03:16)
03 Soldados Assassinos (03:11)
04 Cova Rasa (03:07)
05 Carta (03:42)
06 Soldado Solitário (Part. Charcot) (04:17)
07 Guerrilheiro Perdido (02:48)
08 Choro D' Guerra (03:17)
09 Alucinações (02:42)
10 P.U.T.A.S (03:13)
11 Fim (03:49)
12 A Guerra Não Cessa (Pazsado) (02:57)
13 Tropas (Part. Projeto Pandora) (02:42)
14 Eternos (03:48)
15 Vietnã (03:43)
16 2000 e Guerra (Part. Pazsado) (03:50)
17 A Guerra Pt. 2 (04:38)
18 Finalização (01:22)

Disponível na íntegra para DOWNLOAD via SoundCloud

Os Últimos serão Os Imortais (Acapella)


Vídeo extraído de uma sessão do Projeto Pandora com a Organização QI realizada dia 30/04/11 após apresentação junto com os Cães D' Caça no Terra Nova em São Bernardo do Campo.

+info:

Max B.O. - FumaSom (Prod. Wzy)


Max B.O. lançou recentemente FumaSom com produção musical de Wzy, este som é o segundo single da sugestiva Mixtape FumaSom Vol.1, que promete abordar temas referentes à quem tem uma maneira bem particular de apreciar as coisas boas da vida.


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Rodrigo Amarante - Cavalo (2013)


Em seu primeiro disco solo, o músico carioca dilacera o sentimento do exilado. 

Rodrigo Amarante - Cavalo (2013)

01. Nada Em Vão (03:05)
02. Hourglass (03:32)
03. Mon Nom (04:08)
04. Irene (03:17)
05. Maná (02:39)
06. Fall Asleep (03:19)
07. The Ribbon (04:49)
08. O Cometa (02:52)
09. Cavalo (02:36)
10. I’m Ready (03:49)
11. Tardei (03:35)



Texto por Izabela Raphael

A estreia solo de Rodrigo Amarante, ex-Los Hermanos e Little Joy, engloba diversas expectativas - sejam elas positivas ou negativas. Independente do teor desta espera, há de se concordar que Cavalo é um disco sincero. O cantor imprime sua essência em onze faixas suaves, que não surpreendem em relação ao seu estilo de composição e arranjo, mas podem agradar pela mensagem que transmitem.

"Acredito que todo mundo em alguma medida também se sente estrangeiro, na forma como os outros os vêem, em seu corpo, em seu destino talvez, e por isso sonho que esse meu veículo, espelho imprevisível que preencho, que me serve e que me move, possa também mover a ti, servir ainda a outros, com sorte". O trecho citado, retirado de uma carta ao público que o próprio Amarante divulgou, comprova de fato que a intenção de Cavalo realmente se vale do transporte do ouvinte a um universo particular, no qual o músico repensou vida e amores a partir de diversas influências sonoras.

"Nada em Vão" abre o álbum numa melodia soturna, com um vocal leve e instrumentação rebuscada com sopro e teclado. "Hourglass" parte para uma pegada mais dançante - com direito a letra em inglês, o que antecipa um outro típico estrangeirismo de Amarante, o francês, que dá as caras na seguinte "Mon Nom".

O gingado de Cavalo desce em "Irene", canção de violão angustiado que entre tantos versos se destaca pela sequência "milagre seria não ter, o amor, essa rima breve". Ela trata do exílio em sua pior perspectiva, a da saudade, que passa (ou melhora) com a agitada "Maná", ponto alto de todo o disco. Mistura de samba com pop, a faixa remonta um lado mais ensolarado de Amarante, boa para quem achava que isso não vingaria após a fase Little Joy.

"Fall Asleep" abaixa o tom num piano melancólico, induzindo a um clima tranquilo para "The Ribbon", que apresenta uma introdução soturna com uma melodia doce no violão e adornos de piano. "O Cometa" lembra o vocal contador de história que Amarante emplacou enquanto Los Hermanos, e "Cavalo" vai na mesma linha. Com um piano delicado e um clima introspectivo, a letra abre interpretações com: "no olho do cavalo, espelho imaculado, o duplo eu".

A faixa seguinte, "I’m Ready", continua numa toada suave, que facilmente poderia entrar no disco Little Joy (Rough Trade, 2008). Lembra Caetano Veloso em sua fase de exílio – Transa (1972) – onde inglês e português se casam numa mesma canção. O fim ocorre com "Tardei", música de melodia mais triste com vocal cansado de Amarante. Amor e desprendimento encerram um álbum agarrado a influências, mas solto de expectativas. O compositor dança sozinho e deixa o convite para quem quiser o seguir, num disco onde a unidade do eu-lírico perdido cria uma maneira honesta de se reencontrar.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Matéria Prima - Quimara (Single) 16/04





Saiu hoje! 
Disponível para audição e download o novo single de Matéria Prima intitulado "Quimera", produzido por CoyoteBeatz,  o single fará parte do EP "Expressão Poética" ainda sem data prevista para o lançamento.


Matéria Prima - Quimera (Single)

01. Quimera (02:21)
02. Fossa (01:36)
03. Alucinações (Remix) (02:12)


PS: 
Baixem à vontade!!! 

+info:

Big Filho - Making Off de "Boombox" 2014

video

Trecho da gravação do vídeo clipe da música "Boombox" que é o terceiro single do segundo disco de Big Filho intitulado "É Disso Do Que Estou Falando", com instrumental do DJ Lui Sanz, Pós Produção de Haveck, assista, escute, baixe e compartilhe com seus amigos...


+info:

Mascote - Rap de Verdade part. Espião (Prod. Henrique Jonas)


Lançada oficialmente em 1º de Abril, o famoso Dia da Mentira a música "Rap de Verdade", segundo single do segundo disco intitulado: "Meus Amigos" parte da trilogia "Eu, Meus Amigos e Minhas Rimas" do Mascote, vale a pena ouvir e lhes garanto que irão repetir essa track muitas e muitas vezes.

Produzida e Mixada por Henrique Jonas, Masterizada por Willian Waganju Agua, com participação especial, espacial e pesada de Espião, a capa foi registrada por Adriano Carvalho.


+info:

Coletivo Nervozes - Paraíso das Águas Passadas (2014)


Coletivo Nervozes - Paraíso das Águas Passadas

Com letra de Vitor Pirralho e produção musical do DJ TXU eis aqui o mais novo single de responsa do Coletivo Nervozes que inclusive conta com Web-Clipe, é Rap Alagoano de primeira qualidade, se liga aí...


+info:

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Coletivo Nervozes - Cosmo 1.0 EP (2014)


Cosmo 1.0 é o primeiro EP do Coletivo Nervozes, esse trabalho traz a proposta de coletividade de fora para dentro e de dentro para fora, pois a coletividade é formada por seus integrantes e convidados que contribuíram para abrilhantar e fazer juz ao coletivo de vozes nervosas


São 3 faixas, 3 participações e um cosmo. EP coletivo e nervoso, que conta com as participações especiais de Cannibal (Devotos e Café Preto), Slow da BF (Esquadrão Zona Norte) e Xis...

01 Chama! Part. Xis (04:25)
02 Grave/Eu Tenho Pressa Part. Cannibal (05:08)
03 Homem Bode Part. Slow da BF (04:45)

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Dukes & Rodrigo Tuchê - Cada Pessoa Um Universo [EP] (2014)


508 apresenta: "Cada Pessoa Um Universo", um EP que é o resultado da parceria entre Dukes nas rimas e Rodrigo Tuchê nas batidas, o bang tá quente confere ae...

Dukes & Rodrigo Tuchê - Cada Pessoa Um Universo [EP] (2014)

01. Nela Prossigo [Intro] (Prod. Tuchê) (01:16)
02. Cada Pessoa Um Universo part. Cassiano Sena (Prod. Tuchê) (02:58)
03. Corre (Prod. Tuchê) (02:37)
04. Sem Inspiração part. Klaus Sena (Baixo) (Prod. Tuchê) (03:40)
05. Quando A Noite Vem (Prod. Tuchê) (02:34)
06. Rotas part. Choco (Prod. Tuchê) (03:56)
07. Quando A Noite Vai part. Rodrigo Tuchê (Prod. Tuchê) (01:55)
08. Nuvem Negra part. Cassiano Sena e Ordep (Guitarra) [Outro] (Prod. Tuchê) (02:50)


Dukes - Nela Prossigo [Intro] (Prod. Tuchê)

Gravação e Mix:
Rodrigo Tuchê (PontoSom)

Master:
Rafael Gomes (AudioFusion)

Fotos:
Mek, Pedro Lutti e Jonathan Fernandes

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Ogi - Crônicas da Cidade Cinza (2011)


Na minha humilde opinião eis aqui um dos melhores discos de Rap lançados na atualidade, estou atrasado na postagem mas o que vale é o registro deste disco aqui neste blog.

Ogi - Crônicas da Cidade Cinza (2011)

01. Cidade com nome de santo (Prod. StereoDubs) (01:38)
02. Profissão Perigo (Prod. Ogi) (02:48)
03. Por que, meu Deus? (Prod. Ogi) (02:26)
04. Pronto pra guerra (Prod. Dario) (02:43)
05. Zé Medalha (Prod. Nave) (02:18)
06. Besta fera part. Don Cesão, Dr. Caligari e Mascote (Prod. Nave) (03:44)
07. A vaga (Prod. DJ Zala) (02:46)
08. A corrida dos Ratos (Prod. DJ Caique) (03:33)
09. Premonição (Prod. Caique) (03:11)
10. Noite fria (Prod. DJ Caique) (03:18)
11. Eu tive um sonho (Prod. Dario) (03:15)
12. Monstro gigante part. Espião e Munhoz (Prod. Menor) (03:47)
13. Sókizila part. Savave e HenRick Fuentes (Prod. DJ Caique) (04:15)
14. Minha sorte mudou (Prod. Sala 70) (03:16)
15. Os tempos mudam part. Lurdez da Luz (Prod. Leleco San) (03:11)
16. Tamo ai no rôle part. Rodrigo Brandão (Prod. Dario) (02:48)
17. Eu me perdi na madrugada (Prod. Drunk Sinatra) (02:29)
18. 180 por hora (Prod. Sala 70) (01:04)
19. Segunda chance (02:53)


Gravação: Nômade Estúdio

Mixagem e Masterização: DJ Caique

Projeto Gráfico:  Kadu Doy

Foto: Go Gavino e Haruo Kaneko

Ilustrações: OsGemeos


Profissão Perigo (Clipe)

Por que meu Deus? (Clipe)

Premonição (Clipe)

Noite Fria (Clipe)


+info: