quinta-feira, 29 de junho de 2017

Public Enemy - Nothing Is Quick In The Desert (2017)


Saudações à todos!
Ultimamente tenho passado alguns períodos longe do blog, não porque saiu de moda mas por falta de tempo mesmo, espero que entendam e continuem encontrando aqui sempre algo bom e novo. 

Mas voltando ao que realmente interessa se liga nessa parada, o próprio Chuck D deu o papo, baixem enquanto está disponível de graça este que é o trabalho mais recente do Public Enemy, let's go my friends! 

"Após 30 anos, 106 excursões em 105 países e inúmeros registros, OBRIGADO! 
Este é o Public Enemy. Obtenha isso enquanto é grátis".
- Chuck D


01. Nothing Is Quick In The Desert (01:20)
02. sPEak! (03:31)
03. Yesterday Man (04:20)
04. Exit Your Mind (00:51)
05. Beat Them All (02:55)
06. Smash The Crowd (03:32)
07. If You Can't Join Em Beat Em (01:27)
08. So Be It (03:50)
09. SOC MED Digital Heroin (03:54)
10. Terrorwrist (01:57)
11. Toxic (03:11)
12. Sells Like Teens Hear It (02:57)
13. Rest In Beats (Part 1 & 2) (06:52)

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Don L - Roteiro Pra Aïnouz Vol.3 (2017)


Com um hype elevadíssimo Don L não deixou por menos e nos trouxe o Roteiro Pra Aïnouz Vol.3, com menos faixas mas tão marcante quanto sua Mixtape de estréia. 
Neste EP contém o passado, o presente e projeções pro futuro talvez jamais pensadas por alguém, realmente existe vida além dessa comum e cotidiana que vivemos e eis aqui a prova em alto e bom som. 


01 Eu Não Te Amo (Part. Diomedes Chinaski) (04:51)
02 Fazia Sentido (Part. Terra Preta) (03:45)
03 Aquela Fé (Part. Nego Gallo) (06:08)
04 Cocaína (03:54)
05 Cocainterlúdio (02:27)
06 Mexe pra Cam (Part. Lay) (03:28)
07 Ferramentas (04:02)
08 Se Num For Demais (03:16)
09 Laje das Ilusões (Part. Leo Justi) (03:46)

Disponível para Download no ONErpm + audição na íntegra via YouTube.

Beats por Deryck Cabrera, DJ Caique, Goss, Don L, Sants, Luiz Café e Léo Justi
Mixado e masterizado por Luiz Café

Laje das Ilusões (Vídeo Clipe)

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Indigesto - Museu de Cera de Ouvido (2017)


Museu de Cera de Ouvido já era prometido e aguardado desde antes da chegada do Anão Gigante, lançado pela MUB Records com a produção musical de Goribeatzz e Mestre Xim e a masterização de Ramiro Mart no Studio Setor esta é a mais nova, inovadora e intrépida aventura de Indigesto, que pra não perder o costume voltou com flows mais desafiadores do que nunca, aprecio e recomendo sem moderação...


01 Meus Problemas Seus (Prod. Mestre Xim) (02:43)
02 Estrada part. Leandro de Oliveira (Prod. Goribeatzz) (02:23)
03 Meio Confuso 2 (É o caralho) (Prod. Mestre Xim) (02:24)  
04 Virgem de Guadalupe (Prod. Goribeatzz) (02:38)   
05 Náufrago (Prod. Mestre Xim) (02:33)
06 Príncipe Encantado (Prod. Goribeatzz) (02:34)
07 Levaram Meu Copo (Prod. Mestre Xim) (02:28)
08 RudeBoys (Prod. Goribeatzz) (02:32)
09 Coisas de Verão part. Nany Mateus (Prod. Mestre Xim) (02:56)
10 Quando Estou Fora de Si part. Nany Mateus (Prod. Goribeatzz) (02:28)

Disponível na íntegra via YouTube.

+info:

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Valete - Poder (Prod. Baghira)


Seja onde quer que tu vá, siga o sábio conselho de Viris
SEJA LUZ!


Produção: Baghira
Co-Produção: Here's Johnny
Mistura: Here's Johnny
Masterização: Chris Athens
Voz Refrão: Loromance
Vozes Adicionais: Dino de Santiago e NBC
Discurso : Guilherme Filipe
Gravado por X-Acto nos Estúdios Big Bit

Ilustração: Eky
Lyric Vídeo: Ricardo Toga

Letra

O ser humano sempre teve necessidade de criar luz 
E a luz sempre foi sinônimo de progresso, inspiração…

Numa noite fria, há 7 mil séculos, 
No norte da Turquia, na atual geografia,
Cheio de euforia, depois de apanhar alguns insectos,
Um Homo Erectus corria atrás de um pirilampo.
Repousou depois de duas quedas,
O pirilampo pousou entre duas pedras de sílex.
O pirilampo começou a acalorá-las,
A purificá-las e a seguir a iluminá-las,
Já perto das pedras e muito inquieto,
O Homo Erectus resolveu friccioná-las.
No meio da bruma noturna e da excitação,
Juntou bem perto de si alguma vegetação,
Friccionou até que sentiu o desafogo,
Primeira vez que um ser produzia fogo,
Foi com fogo na lareira, 
Que Sidarta Gautama meditou noites inteiras.

Conhecido por Buda o Iluminado, iluminou, 
Tentou salvar o nosso mundo abominado,
Dizia que tínhamos sido fulminados,
Pelo individualismo que ainda nos tem dominado.
Platão era um estudioso de Buda,
Como Buda dizia que quando mudas, tudo muda. 
Deixou mestria, na história da filosofia, 
Imensa sabedoria na ‘Alegoria da Caverna’.
De costas para a luz nunca terás alforria,
A tua mente será sempre sombria e subalterna,
Como a mente dos maldizentes de Copérnico,
E do Heliocentrismo que foi considerado blasfêmico.
Conhecimento sem fundamento científico,
Para Copérnico era embrutecimento excremento acadêmico,
O mesmo dizia o iluminista,
Rousseau o humanista,  e a rebeldia reformista.

A verdade é a conquista mesmo contra a monarquia
Questionar o estabelecido mesmo que seja heresia,
Como fez Thomas Edison o inventor
Sempre em experimentos, a testar e a analisar
Persistente, até descobrir o filamento
Que permitiu globalizar a lâmpada incandescente.
Lâmpada que fez de Moscovo luminosa
Onde Tolstói dedicou ao povo a sua prosa.
Dizia: quando praticas filantropia 
E sempre que és inspirador tu crias luz.  
Quanto mais luz mais atratividade,
As pessoas querem estar perto da luminosidade.
Normal querer luxo e querer enriquecer,
Mas só quando tens luz é que tens Poder.
Poder para guiar multidões e iluminar,
O obscurantismo com a arte de iluminar.

Refrão

Dá-me mais de ti, dá-me mais,
Dá-me o teu coração mano, e os teus ideais.
Estamos perdidos, ninguém nos conduz,
Tu és o nosso líder és a nossa luz. 

Dá-me mais de ti, dá-me mais,
Dá-me o teu coração mano, e os teus ideais.
Estamos perdidos, ninguém nos conduz,
Tu és sol, tu és luz! 

Sempre que tu és magnânimo, sempre que és inspirador, 
Tu estás a produzir Luz.
E as pessoas querem estar perto da Luz.
Por isso quando produzes Luz tu atrais pessoas,
E quanto mais altruísta, quanto mais inspirador tu fores,
Mais pessoas querem estar perto de ti,
Mais pessoas te querem seguir.
Esse é o verdadeiro Poder, o Poder da Luz.
Muita gente pensa que dinheiro é poder, 
Mas pessoas que verdadeiramente conseguem influenciar,
E guiar outras pessoas são os génios, os filantropos, os criadores de Luz. 
E mesmo quando tu morres, a tua Luz fica, fica o teu legado
Como ficou a Luz de Buda, a Luz de Tolstói.

Valete - Rap Consciente (Prod. Baghira)


Por mais que demore, sempre essa espera pelas linhas de Valete supera as expectativas, se tens alguma dúvida confira o vídeo e sinta essa letra.

Ele está de volta ao Rap sujo!


Ficha Técnica:

Produção: Baghira
Pré-Produção: MC Marechal
Pós-Produção: Slow J
Voz Refrão: Sergin
Mistura: Slow J
Gravado por M nos Estúdios Big Bit
Masterização: Chris Athens

Videoclipe

Realização e Edição: Afro Digital
Produtor: Igor Regalla

Letra:

Morte do meu pai afundou-me no alcoolismo,
Tu sucumbias se vivesses o meu transtorno,
Querem que eu faça música no meio do cataclismo,
Eu estive perto do abismo sem retorno,
Xeg, viu a minha aura dissolvida,
Não vou dizer aqui, aquilo que fizeste por mim X
Viste a minha paz absorvida pelo desgaste,
X,  salvaste-me a vida, tu sabes.
Estava em silêncio a viver a minha miséria,
Decadência funérea como dezembros na Sibéria,
Eu vi a vossa caminhada para o universo Pop,
E vi como emporcalharam o Hip Hop,
Bué sons de brisas e primaveras,
Até curto sons de amor mas bro tu exageras,
Com jeitinho faz beicinho, exibe autoestima,
E acaba esse videoclipe com um beijinho na menina.

Piroso do caralho,
Prodigioso para eles, para nos mais um paspalho.
Crónica ânsia para ser a estrela propalada,
Queres ser a estrela mais falada, com a música mais badalada,
Queres ir da calada, até à ascensão supersónica,
Com essa salada sinfónica de baladas radiofónicas.
Piroso do caralho,
És mesmo o tipo de MC excrementoso que eu estraçalho.
Como se a cultura tivesse sido subornada,
Estamos sem voz há muito tempo, nação desgovernada.
Letras eram granadas agora são gangrenadas,
Rap burro, não temos opinião sobre nada.
Manos em Angola perseguidos por ativismo,
Geração Snapchat ancorada no narcisismo,
3ª Guerra Mundial entre Ocidente e Jihadismo,
E nós com rimas de ostentação e materialismo.

Hip Hop em chamas, tenho de ser o MC bombeiro,
Dizer que somos azeiteiros, vendidos, é lisonjeiro,
Antes sentias o frisson do nosso rap guerrilheiro,
Agora já fazemos alianças com kizombeiros.
Observo as sinalizações,
E o teu estilo de prostituta nessas ritualizações,
Nós só queríamos saber de rimas e inovações,
Agora só preocupados com visualizações.
Tu viralizas, enquanto vigarizas,
10 milhões de views mas quem é visualiza,
Essas mesmas pitas atadas na alienação,
Desesperadas por atenção, descascadas no Instagram.
Nunca conquistas a fama, tu és só cobaia,
Capas de revista, deixa isso para a Maia,
Deixa a passadeira vermelha e essa azáfama,
Globos de Ouro, deixa isso para a Ágata.

Falo sem superioridade moral,
No passado em momentos também fui paradoxal,
Faltou-me essência, para manter a dissidência,
Faltou-me cadência, firmeza, coerência.
Mas estou de volta, para dar a reviravolta
De volta ao rap de revolta, pronto para qualquer embate,
Não há empates, de volta ao rap com tomates,
Não há derrotas, de volta ao rap de combate.
De volta à nudez, ye de volta à rudez,
Outra vez de volta para acabar com tanta mudez,
Outra vez de volta com o feeling do rap português,
Sem porquês, morte ao rap burguês.
Como um bruxo, com o capucho na cabeça,
Rimávamos pobreza hoje rimamos roupas de luxo,
Muito rap meigo, muito rap murcho,
Não se poupa cartuchos estou de volta ao rap sujo!