segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Síntese - Interno



Produção e direção musical
 Willian Monteiro.

Foto
 Vinícius Moreira.

Música
-
Letra:
Na mesma busca do eu... Quem se perdeu? Presente.
Caminho até minha cela enquanto existo incoerente.
E tento convencer o carcereiro da minha inocência.
Altruísmo imaturo... doentia negligência.

Vislumbro minha semana enquanto calculam minha vida.
Desistir? E a imcumbência? A aceitação é a penitência!
Fardo... doce e amargo. Onde sua cabeça descansa, Cruz ou lança?
Até onde a consciência alcança?

Vivo a 'fita' e a alma grita... E por nós, quem requisita?
Entre verdade e mentira, nós atrita, sem perdão.
Fim do pavil... Guerra civil... rebelião. Retaliação?
Descansar o gatilho! Meu martírio é fascinação?!

Meu nome é criação e minha consciência é vã....
No bruto: Proibido fruto, mesmo, humanidade má sã.

Ao que acredita, zele. Ao que sente, atente.
Alimente o fogo, irmão, incessantemente.
Desce decreto... Sobe concreto, tende.
Aqui joelho e pranto na frente do reto.

Ao que acredita, zele. Ao que sente, atente.
Alimente o fogo, irmão, incessantemente.
Desce decreto... Sobe concreto, tende.
Aqui joelho e pranto na frente do reto.
-
Família Matrero, 2013.

+ info:

Nenhum comentário:

Postar um comentário